Safona no peito e São Félix do Coribe no coração. Puxa o fole, Vaniel Sanfoneiro!!!

Publicado em: 15-04-2019

Já sabemos que uma boa conversa anima a alma, nos alegra o coração e enriquece a mente. E quando a pessoa com quem estamos conversando é alguém que nos orgulha, uma pessoa talentosa,  e nosso conterrâneo? Isso mesmo. O nosso convidado para essa entrevista é um São Felense de 26 anos. O filho do Sr. João Francisco Ferreira filho e da Dona Gilvanete Silva Cardoso que foi morar em Goiânia e com muita luta e perseverança se tornou um dos maiores Sanfoneiros do país. Já sabe de quem estamos falando? Exatamente. Vaniel Cardoso Ferreira, ou simplesmente, Vaniel Sanfoneiro.

Confira a partir de agora a entrevista exclusiva do Vaniel Sanfoneiro ao site O Exclusivo:

O Exclusivo: Vaniel, há quanto tempo você está na estrada da música?

Estou com 12 anos na estrada.

O Exclusivo: Como começou a sua relação com a música?

Comecei aos 8 anos, por influência do meu pai que gosta muito de música e canta em casa mesmo por hobby, que logo me deu um teclado de presente pra ver se eu tinha futuro. Ah! Ah! Ah!

O Exclusivo: Por que a sanfona? Ou foi ela quem o escolheu?

Toquei teclado até um certo tempo com uma dupla daí de São Félix do Coribe, que chama-se “Lourinho e Francinha”. E por influência deles, acabei migrando pra sanfona e me apaixonando pelo instrumento.

O Exclusivo:  Como foi a sua infância e adolescência em São Félix do Coribe?

Bom, eu não posso reclamar. Tive uma infância muito boa,  estudei nos colégios: João de Deus e no  Leônidas. Fiz várias amizades que trago comigo até hoje.

O Exclusivo:  Antes de ir embora de São Félix do Coribe, você já tocava? Onde?

A dupla da minha cidade que eu tocava:  “Lourinho e Francinha” que foi minha referência. Tudo começou graças a um cara chamado: Lourinho,  que dedicou todo seu tempo me ensinando todas as músicas, até eu decorar e começar a  tocar com eles

O Exclusivo:  Quem foi a sua maior influência na música? Ainda continua sendo a mesma?

Minha maior influência foi o maestro “Pinocchio”. Um sanfoneiro que admiro muito.

O Exclusivo:  Como foi a sua chegada em Goiânia? Quais foram as maiores dificuldades?

A minha chegada em Goiânia acho que foi uma das partes mais doloridas, muito difícil. Primeiro que não fui pra tocar. Na época, meus pais tinham ido embora e acabei tendo que ir também. E foi muito complicado porque tive que parar de tocar, por falta de opção e não conhecer ninguém do meio, na época. Então, acabei tendo que me virar ainda novo, com apenas 16 anos.

Fui trabalhar em outras áreas:  entregador em super mercado, ajudante de pedreiro com meu pai, auxiliar de salgadeiro até encontrar um cara chamado “Carlinhos Bahia“,  que é da cidade de Correntina (Bahia) e  canta numa banda chamada “Chapahalls”. Foi quando, ele me deu a primeira oportunidade em Goiânia. Fui tocar numa banda de forró. Daí por diante, foi onde tudo recomeçou. A música estava de volta em minha vida. Mas, mesmo assim, foi muito complicado porque eu não tinha instrumento e nem condições de comprar uma.  Comecei alugando sanfona, pegando emprestado até comprar a minha.

O Exclusivo:  Antes de compor a banda de Jefferson Moraes, por onde você passou? Conte um pouco sobre este percurso de tempo.

Depois de ter tocado numa banda de forró, me apareceu um anjo chamado “Reis”, que é um grande amigo meu, um talentosíssimo Sanfoneiro de Goiânia, que me fez migrar pro sertanejo.

Sempre fui responsável e procurei sempre dar o meu melhor.  E logo as oportunidade começaram a surgir.

A cada degrau que eu subia, eu trocava de sanfona. Logo passei por duplas como: Maiara e Maraísa. E também comecei a cobrir amigos sanfoneiros em alguns shows das duplas:  Jorge e Mateus , Mateus e Kauan , Israel Novaes ,Léo Magalhães e outros mais. Acho que foi um dos pontos crucias da minha carreira.

O Exclusivo:  Como você se sente hoje, fazendo parte de uma banda de um dos principais artistas da música sertaneja na atualidade? Em 2015, recebi o convite pra ir tocar com o Jefferson Moraes, com certeza um grande passo em minha vida.  Hoje, me sinto um cara realizado acho que valeu a pena todo meu esforço. Toda luta que tive me fez crer que quem acredita sempre alcança!

O Exclusivo:  Durante toda a sua carreira, tem algum show que marcou bastante, aquele que foi inesquecível? Sim. Tocar com Jorge e Mateus pra mim foi um sonho que virou realidade. Além de ser fã da dupla, tocar com eles foi uma das maiores realizações como músico profissional.

O Exclusivo:  Depois que foi embora de São Félix do Coribe, já voltou para visitar os amigos?

Todo ano vou aí, nunca esqueci das minhas origens. Amo minha terra natal, amo estar com meus amigos de infância. Também tenho um tio que mora aí em São Félix do Coribe, também.

O Exclusivo:  Vaniel, além de um excelente músico, você também vem se destacando como compositor. Fale um pouquinho sobre suas composições.

 Sim. Graças à um cara chamado: Jefferson Moraes tive a oportunidade de começar a escrever e inclusive temos um grupo de composições chamado “MaravilhaHits”. E já temos músicas gravadas por artistas nacionais como: Bruno e Barreto Loubet , e o próprio Jefferson Moraes.

O Exclusivo:  Outro momento que você se destacou e muito ao lado do Jefferson Moraes foi no DVD Jefferson Moraes Acústico. A sanfona trabalhou do início ao fim. Qual foi a sensação de gravar este trabalho mais intimista?

Pra mim foi mais um sonho realizado. Poder gravar os projetos do Jefferson mais próximos como esse:  “Acústico lado B” que você citou e o próximo projeto dele que será lançado dia 18/04/2019 chamado “Jefferson Moraes Exclusivo” que sem sombra de dúvidas será sucesso nacional !

O Exclusivo:  Pra finalizar, queria que deixasse uma mensagem para todas as pessoas do Oeste da Bahia, especialmente São Félix do Coribe que tanto orgulho tem deste filho talentosíssimo.

Hoje, tenho muito orgulho de levar o nome de São Félix do Coribe,  Brasil à fora e pro mundo. Mas, queria deixar uma mensagem pra você que tem um sonho seja lá qual for ele: Acredite, lute e nunca desista dele, porque um dia você vai chegar lá. Só depende de você !

PREVISÃO DO TEMPO